<!-- --><style type="text/css">@import url(https://www.blogger.com/static/v1/v-css/navbar/3334278262-classic.css); div.b-mobile {display:none;} </style> </head><body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d31012094\x26blogName\x3d\x27\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLACK\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://viravento.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://viravento.blogspot.com/\x26vt\x3d-3594933548471650242', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

photos de phérias

sexta-feira


Dona Maria Júlia, proprietária da minha Varanda Branca.
Uma daquelas mulheres que vivem a infelicidade de terem um marido pelo qual nutrem um sentimento maternal.
Quando cheguei fui buscar a chave a um pão quente – Doce Apúlia. Estava embrulhada num papel branco que dizia “È para a Senhora do Porto.”
.
Romeu, empregado de bar no Museu, o tal Bar de Praia do ‘Karaoke Só às Sextas’.
Senta-se a meu lado, a conversar sobre as notícias do dia e do parque Eólico que vão construir aqui no Minho. Pergunta-me, com uma curiosidade que lhe ferve até ao peito, ‘o que é isso que estás a escrever aí no teu caderninho?’ Leio-lhe sempre duas frases.
Quando me apanha à Varanda fica a falar comigo da estrada.
.
Fatinha, vende bolas, baldes e chinelos.
Foi quem me vendeu o Vira Vento, fez agora um ano.
Confessou-me que o marido a conhece pela forma de andar. Sabe se está triste, se está calma ou se está com algum macaquinho lá a pentear-lhe o cabelo. Confessou-me o medo que tal lhe fazia vinte minutos antes de me confessar 'se o Zé não me agarrasse à noite na cama, já me tinha separado'.
.
Bruno, nadador salvador.
Tem uma sereia de traço impressionista tatuada nas costas.
Ensinou-me que o Mar não quer nada que não seja dele.
'Cem metros a Sul, cem metros a Norte, nunca te podes esquecer que ele te devolve.'
Contei-lhe o meu Mergulho-Incursão às Marés Vivas, quando tinha quinze anos.
Ele disse-me que o que mais gosta neste Mar é a forma como ele fala conosco.
.
“E se de repente eu disser que estou na Apúlia, onde te encontro?”
Hélder, via sms, um fotógrafo que conheci quando trabalhei na Loja de Fotografias.
Pela nossa cumplicidade a trabalhar percebi que tinha de o manter na minha vida. Hoje em dia parecemos ter oito anos: vem buscar-me a casa para irmos brincar. Nunca me lembro do que se passa nas minhas costas quando estou com ele.
.

posted by SCS
15.6.07

2 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Amiga linda, acabaram as tuas tão esperadas férias na praia da apulia e mais uma vez o tempo pregou-te a partida. Mas mesmo assim espero que venhas repousada, com as tuas ideias a fervilhar. para as poder colocar no teu vira vento.
Aguardo o momento de te dizer Bom Dia Amiguinha
Tucha

domingo, junho 17, 2007  
Blogger SCS said...

Qual tempo!?
Até se vai espantar com o meu Moreno Choc!

Por estas - e outras! - é que me lembro, no meu dia a dia, tantas vezes da Senhora.

Sabe em quem tenho pensado também..?
No nosso Carteiro.
Acha que ele volta?

Amanhã já me lhe dou esses Bons Dias.
Amanhã já tenho a minha resposta..!

Beijos,
Vira *

domingo, junho 17, 2007  

Enviar um comentário

<< Home