<!-- --><style type="text/css">@import url(https://www.blogger.com/static/v1/v-css/navbar/3334278262-classic.css); div.b-mobile {display:none;} </style> </head><body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d31012094\x26blogName\x3d\x27\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLACK\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://viravento.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://viravento.blogspot.com/\x26vt\x3d-3594933548471650242', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

publicidade - Vira Vento -

quarta-feira


.
.
Coloca-se um casal, não interessa qual, mas coloca-se à janela para que assistam ao que se passa do lado de fora.
Reparam num homem elegante de fato e gravata, sozinho de olhar perdido; passa uma mulher elegante e cruzam olhares, olhando-se de cima a baixo. Notam nas etiquetas de fato alugado que cada um traz consigo e saem dali.
Reparam nos velhos casmurros que mostram a casmurrice de forma alternada, casmurros que são.
Reparam num casal que atravessa a estrada de forma casual, no camião TIR que desgovernado ao fundo da rua, não trava. Notam o olhar perdido do casal no momento antes de ser atropelado pelo camião. Olham um para o outro, o casal da rua, e são calcados pelo camião.
O casal acomodado à janela assusta-se e olham um para o outro. Reparam nas enormes marcas de pneu que cada um tem na cara. Os corpos da espessura do papel. Tal e qual duas folhas caminham trôpegos para a cama. Deitam-se, cobrem-se com os cobertores e ficam como que invisíveis de tão pouca espessura que têm.
Um homem entra no quarto, fecha a janela e deita-se em cima da mulher não dando conta e adormece. Eles incomodados, o homem mais feliz do que nunca.
nuno preto

.
.
.
.
a janela
pela mau artista
19 a 24 Jan
porto, sala estúdio latino

.
.

posted by SCS
13.1.10